Governo do RJ quer remover polo de educação na Rocinha para implantar delegacia

Por Cristina Salvadeo em 18 de novembro de 2013
Infelizmente meus olhos pairaram esta semana sobre a triste notícia:

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, mostra que não prioriza a educação para moradores de favela. A ultima noticia que deixou os moradores revoltados e indignados é que o governador irá retirar o polo de educação superior semipresencial CEDERJ, inaugurado em 2012, que além de oferecer a oportunidade da graduação para os moradores da Rocinha, oferece também educação para jovens e adultos e pré-vestibular social. Um local nobre que oferece gratuitamente a oportunidade de crescimento de toda essa gente com vontade de crescer e mudar o cenário de onde foram nascidos e criados.
O líder Nelson Mandela, certa vez, fez a seguinte afirmação: “A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo”. Talvez por esse medo de que os favelados consigam estudar e ter conhecimento de seus direitos que os governantes deixam mais uma vez de lado o valor da educação e priorizam força policial. Afinal, para eles favelado precisa é de UPP, policia, delegacia, enfim tudo que possa reprimir o tráfico e os moradores. O próprio governador já afirmou que a Rocinha é uma fábrica de marginais. Abaixo, segue o a carta de repúdio dos moradores, lideranças comunitárias, alunos, professores e tutores do Cederj Rocinha.
CARTA DE REPÚDIO
Inaugurada em março de 2012 pelo governador Sérgio Cabral, o Polo Cederj Rocinha oferece graduação superior pública semipresencial, vinculada as principais universidades públicas (UFRJ, UFF, Uerj, UFRRJ, Uenf, Faetec e Cefet), Educação para Jovens e Adultos, vinculada a Seeduc, além do Pré-Vestibular Social. Está sendo uma oportunidade para cerca de 1 mil alunos que hoje frequenta o polo e buscam o diploma superior. No dia de hoje, fomos surpreendidos com a notícia de que o polo seria removido para contêiners que seriam instalados no estacionamento do Complexo Esportivo da Rocinha e o local onde o polo funciona, atualmente, daria lugar para uma delegacia de policia. O citado Complexo, diga-se de passagem foi uma construção gerenciada pelo próprio governo do estado e que, quando chove, fica completamente alagado, pois há uma vala de esgoto, falha que está sendo questionada por moradores daquela comunidade. Não nos surpreende a forma como a educação está sendo tratada, mais uma vez, nosso país especialmente, em nosso estado em nossa cidade, como podemos observar em episódios recentes envolvendo os professores da educação pública. Nós, professores, alunos e tutores do polo Cederj Rocinha repudiamos tão pretensão e exigimos respeito, pois entendemos que a educação é “prioridade” em nossa sociedade.
*Carta de repúdio dos alunos, professores e tutores do Cederj Rocinha.
Precisamos que a educação seja prioridade. Esse é o único caminho para formar cidadãos e transformar as favelas de nossa cidade. Essa é a reivindicação dessa comunidade. Exigimos que o polo continue instalado no local, queremos acesso ao ensino superior para que número de moradores com formação possa crescer e para que assim a comunidade se desenvolva socialmente de verdade.
*Davison Coutinho, 23 anos, morador da Rocinha desde o nascimento. Formando em desenho industrial pela PUC-Rio, membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade, funcionário da PUC-Rio. 
Fonte: Jornal do Brasil - Rio de Janeiro/RJ

Veja como foi a inauguração desse polo, pelo próprio Governador Sergio Cabral:



Prefiro ficar com a concepção de Mandela:




2 comentários:

A educação realmente é a ferramenta principal para a "evolução" da sociedade. A CEDERJ é uma instituição que me ajudou muito, mesmos com os problemas de infraestruturas, consegui aprender bastante. Na Rocinha, esse periodo é de transição em tudo, então vamos esperar, jaja isso vai se resolver.

Torçamos para que se resolva o mais rápido possível e o bom senso prevaleça.

Postar um comentário