Capes ressalta importância da UAB na educação brasileira

Por Cristina Salvadeo em 22 de novembro de 2013
O presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Jorge Almeida Guimarães, afirmou na segunda-feira, (18/11/2013), na abertura do Encontro Nacional de Polos da Universidade Aberta do Brasil (UAB), que o sistema tem atuado de forma direta nos maiores desafios educacionais do país. "A UAB tem sido o instrumento, por meio do qual temos avançado cada vez mais no enfrentamento da qualificação da educação básica e da valorização dos professores", explicou. O encontro reúne, no edifício-sede da Capes, os coordenadores UAB e de polos e segue até o dia 19 de novembro (2013).

Para Guimarães, os avanços do programa são extraordinários, mas em 2007, ano de sua implementação, a iniciativa de contribuir para formação de professores da educação básica constituiu um grande desafio à agência, em razão de sua previsão de crescimento superior ao da própria pós-graduação brasileira. "Nossa previsão se concretizou e,cinco anos depois, a diretoria de Educação Básica e a diretoria de Educação a Distância da Capes, em especial a UAB, contabilizando alunos e professores, já é mais que o dobro do conjunto que constitui alunos e professores da pós-graduação brasileira", disse.

O diretor de educação a Distância da Capes, João Carlos Teatini, ressaltou em sua fala o caráter integrador da UAB, o qual alinhou o programa aos objetivos previstos na constituição Federal do País. "Entre as nossas ações, talvez a mais importante, foi a aproximação das instituições de ensino superior (IES) com os polos em que elas ministravam cursos, ou seja, essa ação integrada das IES federais e estaduais com os polos mantidos pelos estados e municípios, buscando realizar, de forma plena, o regime de colaboração previsto na constituição Federal de 1988", completou.

Segundo Teatini, o objetivo do encontro é reunir o que houve de melhor na série de encontros regionais, realizada em 2013 pela diretoria. "Cada um dos encontros nos trouxe grandes aprendizados e por isso, hoje, neste evento estamos concluindo uma etapa e inaugurando um novo processo, uma nova fase, na qual a educação básica do brasil sairá muito mais fortalecida", explicou.

Educação Básica 
Teatini citou ainda o esforço e a dedicação do Ministério da Educação, por meio da Capes, na valorização da educação básica e de seus profissionais. "A Capes teve a coragem de convencer a comunidade acadêmica de que as ações da educação básica eram essenciais para a educação brasileira e até para a própria pós-graduação, a tal ponto do Plano Nacional de Pós-graduação 2011-2020 destinar um capítulo específico para o assunto e da diretoria de Avaliação da Capes incluir a integração dos programas de pós-graduação com a educação básica como um dos itens de avaliação", disse.

A excelência da atuação da Capes na pós-graduação brasileira foi citada pelo secretário executivo do Ministério da Educação, José Henrique Paim, como fator decisivo na atribuição da UAB a esta agência. "Não tenho dúvidas de que se a Capes não tivesse trilhado esse caminho, não chegaríamos à situação que estamos hoje, fazendo este evento, que vai discutir o que já foi conquistado e, ao mesmo tempo, refletir no que é preciso fazer para melhorar e ampliar este sistema", explicou Paim.

Para a presidente do Fórum Nacional de coordenadores UAB, Maria Luisa Furlan Costa, o objetivo do encontro é fortalecer o sistema UAB e a EaD no país, além de coroar o trabalho feito pela Diretoria de Educação a Distância (DED) da Capes nos seminários regionais. "Enquanto presidente do Fórum, tenho muito orgulho de andar por este Brasil e ver a repercussão que a EaD tem tomado neste país. Por onde passamos, ouvimos falar bem do programa, o que não significa que tudo está bem, mas sim que temos que nos unir cada vez mais para fortalecê-lo e para fazer a EaD se consolidar nas instituições, nos nossos polos e no governo federal", explicou.

Inovação e Tecnologia 
O coordenador Geral de Inovação em Ensino a Distância da Capes, Jean Marc Mutzig, ministrou a palestra "Polos UAB – Inovações e Tecnologias", na qual apresentou as ações realizadas pela diretoria no intuito de aparelhar os polos e as universidades com a tecnologia necessária. "Para isso, realizamos visitas de monitoramento nos polos e atribuímos a cada um deles os cursos que podem ser ofertados ali, a partir da estrutura disponível", explicou Jean Marc.

Jean Marc destacou a situação dos estados do Acre e de Roraima, onde 100% dos polos têm, atualmente, conceito máximo na avaliação da diretoria e ainda, a região sul, onde 78% dos polos também atingiram a melhor avaliação.

Segundo o coordenador, um dos pontos mais importantes nesse aparelhamento é a conectividade do polo, para o qual a Capes criou um programa de monitoramento. "Criamos um programa chamado "Agente de monitoramento", no qual os computadores dos alunos do polo são monitorados e concedem à Capes a informação sobre a velocidade real que é recebida", explicou.

Paralelamente ao maquinário, Jean Marc, destaca ainda a necessidade da qualificação de pessoal para a estabilidade do sistema UAB. "É importante que criemos uma massa crítica em cada município onde temos polos, que tenhamos mais pessoas que trabalhem para a EaD, que façam com que esse município seja uma referência. Quanto mais pessoas tivermos com experiência em EaD, com experiência de articulação com as instituições, maior será a institucionalização e a estabilidade do polo para oferecer cursos superiores.

Somente assim, a UAB alcançará seu objetivo de chegar a lugares onde a educação presencial não consegue", disse.

Gisele Novais Fonte: CAPES

0 comentários:

Postar um comentário