Prêmio CNJ de Educação a Distância

Por Cristina Salvadeo em 22 de junho de 2011

O Poder Judiciário está atuando firmemente no sentido de incentivar a educação a distância como forma de capacitar os seus servidores e, para isso, premiará os melhores trabalhos científicos que forem apresentados no 3º Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Leia, na íntegra, a notícia disponibilizada pela Agência CNJ de notícias:

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está com inscrições abertas, até o dia 15/08/2011, para o Prêmio CNJ de Educação a Distância.  O prêmio foi criado para incentivar os tribunais na promoção da educação a distância (EAD). Além da disseminação do conhecimento, a premiação visa incentivar o desenvolvimento de técnicas e sistemas que aumentem a oferta de treinamentos e otimizem os investimentos.
A seleção dos trabalhos será feita por comissão composta por especialistas e acadêmicos organizada pela Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed). O CNJ é responsável pelo edital e os interessados realizarão a inscrição utilizando ferramenta de submissão de trabalhos científicos disponibilizada pela Abed. Clique aqui.
Os melhores trabalhos científicos serão apresentados durante o 3º Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário, que acontecerá nos dias 24 a 26/10/2011, em Brasília, na Sala de Sessões do Tribunal Superior do Trabalho. Desde 2009, quando foi realizado o 1º Fórum de Educação a Distância, o CNJ investe na disseminação da EAD por entender que a metodologia otimiza os recursos orçamentários, multiplica a oferta de treinamento, possibilita o compartilhamento e a gestão do conhecimento de magistrados e servidores.

A Educação a Distância ganhou mais relevância com a publicação das Resoluções 111 e 126 do CNJ. A primeira, de abril do ano passado, instituiu o Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Servidores do Poder Judiciário e incentivou treinamentos, cursos e seminários de educação corporativa, priorizando o ensino a distância. Já a Resolução 126, sobre o Plano Nacional de Capacitação Judicial de magistrados e servidores do Poder Judiciário, estabeleceu que as escolas judiciais darão prioridade ao uso da educação a distância e terão setor próprio voltado para esse fim.

Além destas iniciativas, o Conselho Nacional de Justiça tem outras ações de educação a distância, como um portal de EAD, videoteca sobre Educação a Distância, Cursos de Formação de Tutores e Coordenadores, Pesquisas de Educação e Educação Corporativa a Distância. Estas iniciativas estão disponíveis no endereço eletrônico: www.cnj.jus.br/eadcnj

Nas edições anteriores do Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário foram destaque os casos de sucesso do TRE-MG, TRT 8ª, TSE, TRT 12ª, TRF 4ª e TRE-BA. Outras informações sobre o prêmio e sobre o 3º Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário podem ser obtidos no e-mail ead@cnj.jus.br

Fernando Grossi

Agência CNJ de Notícias

2 comentários:

Este prêmio é uma excelente forma de prestigiar a modalidade de ensino EaD e também uma forma de tentar diminuir o preconceito.

Concordo com você Luís Henrique, pois acredito que a EaD é o futuro da educação no Brasil e no Mundo e que se expandirá cada vez mais, pois os cursos a distância têm a mesma qualidade dos presenciais.

Postar um comentário